Você está aqui: Página Inicial > Atuação > Patrocínio > Balanço das ações patrocinadas - 2010

Balanço das ações patrocinadas - 2010

por Site Secom publicado 18/12/2013 12h09, última modificação 27/01/2015 12h47
Em 2010, o Sudeste liderou o volume de investimentos em patrocínio, com R$ 521,4 milhões

Órgãos e entidades do Poder Executivo Federal investiram R$ 1,067 bilhão em ações de patrocínio no ano de 2010. Na análise dos números, permanece a tendência de distribuir os recursos entre as diferentes regiões do País. O balanço diz respeito a patrocínios analisados e aprovados em 2010 pela Secom, não significando que tenham sido executados ou pagos em sua totalidade.

Em 2010, o Sudeste liderou o volume de investimentos em patrocínio, com R$ 521,4 milhões. Isto é atribuído, em grande medida, à importância mercadológica da região e ao fato de que ali acontece a maior parte dos eventos promocionais. A região Nordeste é a segunda maior região, com investimentos de R$ 204,9 milhões; seguida das regiões Centro-Oeste, R$ 116,5 milhões; Sul, R$ 120,9 milhões; e Norte, R$ 47,6 milhões. As iniciativas que abrangem mais de uma região são classificadas como "Nacional" e somaram em 2010 R$ 35,1 milhões. Os projetos realizados no exterior alcançaram R$ 20,2 milhões.

A Secom coordena o Comitê de Patrocínio, formado por representantes de secretarias, ministérios e estatais. Dentre outros objetivos, ele busca a troca de experiências positivas, racionalização de processos e fortalecimento da comunicação pública. Os patrocinadores ligados ao Governo Federal têm autonomia para decidir quais ações de patrocínio pretendem apoiar e executar.

Entre os projetos que se destacaram em 2010 está a parceria pioneira do Banco do Nordeste (BNB) com o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), que se uniram em 2009 para colocar em prática um programa conjunto de fomento à cultura na Região Nordeste. Com a união, o Programa BNB de Cultura duplicou o orçamento e patrocinou 873 projetos beneficiando diretamente 437 municípios. Em contrapartida o BNDES disseminou sua marca em uma região considerada estratégica para o Banco. A Petrobras, empresa que mais investe em cultura, manteve uma estratégia bem sucedida chamada “caravana”. O objetivo é levar às associações culturais e a todos os potenciais proponentes informação e orientação sobre como participar do edital.

Além do patrocínio cultural, houve aumento dos investimentos dos patrocinadores públicos nos segmentos ambiental e social que ultrapassaram o valor aportado em projetos esportivos.

A maioria das empresas estatais vem adotando processos de seleção pública para escolha dos projetos de patrocínio que irá apoiar anualmente. Em 2003 apenas duas empresas utilizavam editais como forma de selecionar os projetos de melhor qualidade em certo tema. Hoje são publicados mais de 15 editais no ano.