Você está aqui: Página Inicial > Orientações gerais > Mídia > Comitê de Negociação

Comitê de Negociação

por Site Secom publicado 15/05/2012 20h43, última modificação 02/12/2014 15h33
Organização contribui para que órgãos e entidades integrantes do Sistema de Comunicação do Poder Executivo Federal (Sicom) negociem conjuntamente descontos e preços por campanhas

Antes de 2002, as negociações de mídia dos órgãos e entidades do Poder Executivo Federal com os veículos de comunicação eram descentralizadas. Dessa forma, cada órgão negociava isoladamente os descontos e respectivos preços por campanha ou ação.

Em 2003, foi criado o Comitê de Negociação, que fez com que os órgãos e entidades passassem a negociar conjuntamente. Essa nova postura permitiu que todos os integrantes do Sicom, independentemente do seu tamanho, pudessem usufruir igualmente das condições negociadas pelo Comitê, utilizando os descontos obtidos nas negociações, garantindo maior rentabilização dos recursos públicos.

A negociação conjunta dos órgãos e entidades do Sicom é realizada anualmente com as redes e grupos de TV, rádio, jornal e revista do País. 

Em 2013, o Comitê negociou com os 24 maiores grupos de comunicação do País dos meios televisão, revista, rádio e jornal que, juntos, respondem por cerca de 64% das compras de espaços e ou tempos na mídia do Executivo Federal.

Destacamos a evolução do critério e parâmetros de estudos do meio TV Aberta, que passou a considerar, de maneira ponderada, todos os programas da tabela da emissora. No meio TV fechada, o estudo passou a levar em conta a audiência líquida de cada canal. 

Critérios de Negociação

Visando à manutenção do poder de compras do Poder Executivo Federal, o critério de cálculo de descontos utiliza a relação entre três dados:

1. Variação da tabela do veículo (comparando-se com a tabela utilizada na última negociação);
2. Variação da audiência / circulação do veículo (acumulado dos últimos doze ou seis meses, a depender do meio, evitando picos e vales de audiência causados por algum evento extraordinário); e
3. Projeção de IGP-M acumulado no período*;

* Índice utilizado: projeção de variação do IGP-M divulgado pela Suma Econômica.